Dezessete Luas – Beautiful Creatures Livro 2

dezessete_luas_1447474942189663sk1447474942bDezessete Luas
De Margaret Stohl e Kami Garcia

Sinopse oficial: Dezessete Luas começa exatamente após os acontecimentos de Dezesseis Luas: Ethan Wate e Lena Duchaness escaparam por pouco de serem reclamados pelas trevas, mas a vitória teve um sabor amargo. Lena vive a dor e o sentimento de culpa pela morte de um familiar e começa a se afastar de Ethan.

Auxiliado pelo amigo Link, Ethan vaga pelos túneis subterrâneos da cidade, um mundo secreto, determinado a salvar a amada.

Minha opinião: já comecei o ano daquele jeito: shippando o casal errado! Kkkk

Mas eu não pude evitar, a Lena estava um poooorrreee nesse livro! Ela nunca foi a melhor personagem, mas as autoras judiaram dela neste volume. Já a Liv, a menina que eu queria que ficasse com o Ethan, é demais! Uma fofa, inteligente, engraçada… não tem como. Eu ainda tenho grandes esperanças de que eles terminem a saga juntos, mas to achando que vou morrer na praia esperando. 😛

Como vocês puderam notar, eu estava num bode literário desde o ano passado, e precisava de uma boa história conhecida pra me tirar do fundo do poço. E não me decepcionei!

Eu gostei bastante da narrativa, do enredo e do destino de alguns personagens. Assim como no primeiro volume, o final foi meio enrolado – muita coisa acontecendo de uma vez só, mas gostei dos últimos capítulos. Prevejo um próximo livro bem agitado, porque esse também não parou um minuto. rsrs

Alguns personagens demonstraram que não são tão secundários como eu imaginava, então estou curiosa pra saber o rumo que as coisas vão tomar. Além disso, ficaram muitas pontas soltas – já dá pra imaginar em torno do que o 3º livro vai girar…

Enfim, adorei e recomendo a leitura! Eu precisava de um livro gostosinho assim pra começar o ano. 😊

Bjs
Marina

Dezesseis Luas – Beautiful Creatures Livro 1

dezesseis-luasDezesseis Luas
De Margaret Stohl e Kami Garcia

Sinopse: Em Dezesseis luas não há vampiros, nem tampouco lobisomens. Anjos também não aparecem no enredo, mas não falta aventura e romance. Ou outros personagens fabulosos, como bruxas, espíritos e zumbis. E uma certa atmosfera gótica ronda a obra.

Na pequena Gatlin, com sabor à Nova Orleans, uma mágica poderosa e adormecida está prestes a ser libertada. E com a ajuda de dois adolescentes: Ethan Wate e Lena Duchaness.

Ethan é um menino comum, mas à noite começa a sonhar com uma menina de olhos verdes a quem tenta salvar desesperadamente.
Quando Lena chega à cidade ele não tem dúvida, ela é a menina dos seus sonhos. O que se segue é uma história de almas gêmeas e segredos perigosos e obscuros. E Lena e Ethan precisam confiar um no outro para que possam vencer uma maldição com poder para acabar com tudo à sua volta. Será que eles vão conseguir?

Minha opinião: ok, eu sei que disse que desanimei em relação à esse livro, que muita gente tinha me dito que a narrativa era arrastada e que a história não era lá essas coisas, então eu realmente achei que nunca iria lê-lo, mas assisti ao filme esses dias e fiquei super curiosa… estava precisando me apaixonar por mais uma saga, sabem? Mas infelizmente não foi dessa vez…

A narrativa não é tão arrastada quanto eu pensava, ela simplesmente tem muitos detalhes, mas não é uma coisa ruim. Achei que teve é muita enrolação – dava para ter cortado umas 50 páginas do livro! Mas no geral foi fluido e interessante sempre.

Achei fantástico o fato do livro ser contado do ponto de vista do Ethan e não da Lena – é ótimo ter um garoto romântico narrando a história pra variar! Embora às vezes ele pareça um pouco feminino demais, ele é muito interessante e uma eterna contradição – o típico adolescente que não sabe onde se encaixa, que tem vergonha do que os amigos vão pensar dele mas, ao mesmo tempo, um cara decidido e que está disposto a mudar tudo por alguém que ama. Por falar em amor, o caso dele com a Lena surge aos poucos, naturalmente, então não achei nada muito forçado. Já a Lena, não achei ela tão interessante. Ainda bem que não foram os pensamentos dela que acompanhamos, porque achei ela apagadinha demais…

No geral eu estava esperando a mesma história do filme mas não: elas são muito diferentes! Então fiquei sem saber o que pensar quando terminei a leitura pois, ao mesmo tempo em que gostei, achei que a história do filme – embora muito mais sucinta e simples – foi mais legal… (rá! Quem diria!) Acho que os fãs podem ter ficado muito decepcionados com a adaptação porque foi tipo um Percy Jackson da vida – mudaram a história e os personagens -, mas eu gostei mesmo.

Logo, não é o melhor livro do tipo, não é o mais original, mas também não é chato como eu estava imaginando. É muito bom, eu gostei e vou ler os próximos. 🙂 Só não me apaixonei perdidamente mesmo…

Bjs
Marina

Sorte ou Azar?

SORTE_OU_AZARSorte ou Azar?
De Meg Cabot

Sinopse: Jean é perseguida por seu azar onde quer que vá. Desde que nasceu ela convive com isso, então logo cedo foi apelidada de Jinx, que quer dizer má sorte.

Depois de se meter em uma confusão na sua cidade natal, ela até que fica bem animada com a mudança para a casa dos tios, em Nova York. Talvez, do outro lado do país, Jinx consiga finalmente se livrar do azar.

Mas logo ela percebe que não é apenas disso que está fugindo. É de algo muito mais sinistro… Sua prima Tory acredita que elas herdaram os poderes de uma antiga bruxa que seria tataravó delas, e, apesar dos conselhos de Jinx para não se meter com essa história, Tory não lhe dá ouvidos. Jinx tem tanta má sorte que ainda acaba se apaixonando por Zach, seu vizinho gato, e tudo fica bem mais difícil!

Será que sua falta de sorte é, na verdade, um dom, e a profecia sob a qual ela viveu desde o dia que nasceu é a única coisa que poderá salvá-la?

Minha opinião: É um livro muito bom, com uma narrativa bem gostosa e fácil de ler!

A Meg Cabot na verdade sempre escreve de uma maneira ótima, então a leitura sempre é boa, mas o tema que foi abordado também ajuda bastante. Pelo menos na época em que eu li o livro não existiam muitos que falavam de feitiçaria e bruxaria no cotidiano (e na adolescência). No máximo tinha aquela séria de TV “Charmed”, mas era bem antiguinha também rs Então achei o livro bastante original.

No começo você nem sabe do que se trata, só sabe que a personagem é bem azarada! Achei isso legal, porque você consegue se envolver com tudo que ela vai descobrindo. E claro, todos os personagens são bem cativantes!

Enfim, leitura boa e recomendada!

Bjs
Marina