Captive In The Dark – The Dark Duet Livro 1

CAPTIVE_IN_THE_DARKCaptive In The Dark
De C. J. Roberts

Sinopse traduzida por mim: Caleb é um homem com um interesse singular em vingança. Sequestrado quando criança e vendido como escravo sexual para um poderoso gângster, ele não pensa em nada a não ser se vingar. Por doze anos ele vêm se infiltrando no mundo de escravas sexuais procurando pelo homem que ele tanto anseia encontrar. Finalmente, o arquiteto de seu sofrimento reaparece sob uma nova identidade, mas antigos modos. Para Caleb chegar perto o suficiente para pegá-lo, ele deve se tornar o que odeia e sequestrar uma linda jovem para treiná-la para ser tudo que ele um dia foi.

Olivia Ruiz tem 18 anos e acabou de acordar num lugar estranho. Vendada e amarrada, há apenas uma voz calma e masculina para acalmá-la. Seu nome é Caleb, embora ele ordene que seja chamado de Mestre. Olivia é jovem, linda, ingênua e fadada a falhar. Tem uma sensualidade inata que não pode ser escondida ou negada, embora ela tente. Embora ela esteja assustada com o homem forte, sádico e arrogante que a mantém prisioneira, o que a mantém acordada no escuro é sua indesejada atração por ele.

Minha opinião: Ok, acho que eu nunca li algo tão FORTE na minha vida.

Antes de ler esse livro eu pensei: já assisti muito Law & Order SUV, Criminal Minds, filmes com sequestro e tortura, filmes sobre o holocausto… então me considerava preparada para o tipo de violência que encontraria nele. Em paralelo, sempre fui fã do amor, independente de sua forma de manifestação: apoio a causa gay, o amor inter-racial, entre pessoas de diferentes idades e até mesmo apoiei um incesto, em Forbidden (como todos já devem ter me ouvido falar 500 milhões de vezes rsrs).

Talvez seja por isso – por achar que estava tão preparada – que fui totalmente surpreendida e fiquei em choque com a história e com os atos contidos nessa leitura.

Primeiro de tudo: é muita violência gratuita! Dor física e psicológica expressas de uma forma tão íntima que me deixou atordoada. MEU DEUS essa menina apanha muito! Confesso que eu sempre tive medo de ser pega por algum pervertido e ser mantida em cativeiro, então esse livro ainda foi brutal por pegar bem num calo, sabem?

Sobre o amor: ok, entendo que o que aconteceu é chamado de Síndrome de Estocolmo – quando a vítima se apaixona (ou cria laços emocionais) com seu sequestrador – mas PELO AMOR DE DEUS! Como assim um homem te bate, abre buracos em você, te deixa nua, te estupra e mesmo assim você se apaixona por ele??? OI???? Minha nossa, isso é demais até para mim.

Eu consegui sim entender o surgimento desse amor. Foi algo desenvolvido pelo tempo… essas pessoas doentias sabem como te fazer “obedecer”, então você acaba sendo maltratada por ele e buscando conforto nele… E pelo lado do sequestrador, honestamente eu sempre achei que essas pessoas mentalmente perturbadas devem ter sofrido muito na infância, e Caleb é um exemplo perfeito disso. Consigo entender um pouco como ele se sente pela Livvie, mas nada me soa real… verdadeiro. Não apoio o relacionamento deles, então não torço por eles.

O final do livro não foi um final em si. Deixou muitas questões em aberto, e obviamente terá uma continuação, mas fiquei tão perturbada quando acabei a leitura que não quis vislumbrar o primeiro capítulo do próximo volume.

Juro, no final ficou um pouco melhor para suportar a história, mas no começo estava tenso! Pessoas facilmente impressionáveis e menores de 18 anos, por favor passem longe!!!

O inglês também não foi fácil… o nível era um pouquinho mais avançado, mas o que prejudicou mesmo foram as letras pequenas, o fundo branco e o espaçamento muito junto. Ele parecia interminável!!!

Mas a autora ganha MUITOS pontos porque esse é um enredo arriscado, inovador, fora do lugar comum e muito perturbador. A escrita dela é tão invasiva que você se sente nua, na pele dos personagens e acaba ficando sufocada. Meus parabéns, porque ela conseguiu criar uma história marcante e que vai ficar para sempre na minha mente!

Recomendo apenas aos fortes e corajosos. Classifiquei até como terror porque me deixou apavorada rsrs

Bjs
Marina