O Demonologista

O Demonologista
De Andrew Pyper

Sinopse: “A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe”, escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de O Demonologista, é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados.

O personagem principal é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo – principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma.

Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

Minha opinião: sabe aquele livro excelente que você pensa “Meu Deus vai ser um dos melhores livros que eu já li!!!”? Pois é, esse foi quaaase. Bateu na trave mesmo e por um único motivo: o final. O livro foi bom 95% do tempo mas teve aquele probleminha que bem conhecemos: um fim abrupto, aquém do desejado e muito incompleto.

Eu até gosto de finais abertos e não me incomodo com finais rápidos, mas a combinação desses 3 elementos… não sei, foi muito decepcionante. Especialmente se tratando de uma leitura que me prendeu do começo ao fim e estava ótima.

Então tirando esse detalhe, o restante do livro foi impecável. A narrativa é confortável, o personagem principal é interessante e a sucessão dos acontecimentos é de dar inveja aos melhores filmes de terror.

Fiquei genuinamente assustada em algumas partes, tanto que só lia em locais públicos e durante o dia – sim, sou dessas! 😛 kkkkk Eu, particularmente, acho esse assunto (demônios, possessão demoníaca, etc) bem pesado… então melhor prevenir que remediar #alouca.

Mas, talvez por ter ficado tãaaaooo assustada assim, eu também esperava aquele desfecho sangrento e marcante dos filmes de terror. Acho que no geral eu senti uma grande frustração nos últimos 10 minutos de leitura porque tinha tudo pra ser O LIVRO DE TERROR DA VIDA, mas ainda prefiro “Os Três”, que segue sendo meu favorito.

Enfim, não pensem que não gostei, eu gostei sim e MUITO! Só estou no momento com aquele misto de sensações, rsrsrs. Ah! mas recomendo! 😉

Bjs
Marina

Sanctum – Asylum Livro 2

Sanctum
De Madeleine Roux

Sinopse oficial: Visões. Vozes. As lembranças do verão passado, vividas no alojamento Brookline do New Hampshire College, são as mais aterrorizantes da vida de Dan, Abby e Jordan. Uma experiência traumática que eles querem esquecer. Porém, seguir em frente não será uma opção. Alguém quer manter vivo aquele terror. Os três jovens estão recebendo cartas anônimas com palavras enigmáticas e fotos de um antigo parque de diversões. Para dar fim nesse pesadelo, eles irão se disfarçar de candidatos e voltar por um fim de semana ao campus do NHC. E, ao chegar lá, eles vão descobrir que aquele parque das fotos não só é real como também voltou a funcionar. Agora, a capa pista que tentam desvendar, Dan e seus amigos descobrirão segredos ainda mais sombrios do que haviam imaginado. Além de correrem muito mais perigo. Para se salvar, eles não poderão perder o controle.

Minha opinião: esse livro pra mim foi separado em duas partes: a primeira metade e a segunda.

Na primeira parte eu confesso que fiquei um pouco perdida: não me lembrava de quase nada do primeiro volume, só a história geral mesmo, então nem sabia quem eram os personagens e tudo mais. Conforme as páginas foram passando, eu ia lembrando de algumas coisas mas estava achando tudo muito direto – eu não estava acompanhando muito bem esse ritmo.

Só que aí as coisas foram ficando legais. MUITO LEGAIS. Eu fui ficando com “medinho” e ansiosa pra saber o que ia acontecer… e pá! Fui fisgada!

Tem muito mistério, sabem? Aquela coisa de livro de detetive, que você fica o tempo todo tentando achar o culpado e entender o que aconteceu.

Aí chegamos na segunda metade e eu devorei numa tacada só! Principalmente quando foi mencionado o MkUltra – a maior teoria da conspiração ever!!!! (e eu sou a louca da teoria da conspiração, só pra deixar claro.)

A narrativa é muito rápida e fluida e eu não esperava um enredo tão bom, então realmente foi uma surpresa o tanto que eu me apeguei a esse livro – principalmente depois de um primeiro volume super morno…

Eu realmente quero ler o terceiro tipo já!!!! Estou louquinha pra saber a continuação da história. E acho que a saga tomou forma agora, então fiquei esperançosa!

Recomendo!

Bjs
Marina

Invocadores do Mal

invocadores_do_mal_1461870024581438sk1461870024bInvocadores do Mal
De Ed e Lorraine Warren

Sinopse oficial: A médium clarividente Lorraine Warren e seu marido, o respeitado demonologista Ed Warren, estudaram, por mais de meio século, fenômenos paranormais ao redor do mundo. Seus casos inspiraram os filmes Invocação do Mal, Amityville e Annabelle. Esta obra reúne as cinco décadas de experiência em investigação de campo desse casal, juntamente com as suas perspectivas histórica, científica e religiosa, para revelar que até mesmo o que é considerado paranormal não pode ser ignorado, tem padrões de comportamento previsíveis e pode ser mensurado cientificamente. Por meio de milhares de palestras, estudos de caso e análise de cartas de clientes, eles revelam o que é conviver com fantasmas, poltergeists e infestações malignas, como investigá-los e solucionar seus mistérios.

Minha opinião: essa foi a primeira vez que saí da minha zona de conforto (ficção) para ler uma biografia. E gostei! 🙂 Claro, mais pelo tema e pelas historinhas contadas do que por ser, de fato, uma biografia. Mas vamos lá!

Eu tinha medo de começar a ler esse livro – achei que a vibe negativa fosse atrair maus espíritos para perto de mim kkkk (que doida!). No começo fiquei empolgada porque parecia que não seria tão forte assim como eu pensava… até chegar na parte de possessões e demônios. Aí eu me caguei, rsrsrs (perdão pelo palavreado mas é a realidade).

O que me assusta é que são casos reais, sabe? Você pensa: caramba, podia ser eu!!! E eu morro de medo desses temas então fiquei doidinha arrastando a leitura nessas partes (pra  vocês terem uma ideia eu não li esse livro em casa, só li em locais públicos – olha a que ponto chega a nóia da pessoa kkkkkk).

Mas o livro não trata só de casos ruins, fala de muitas coisas boas também e na realidade explica muito desse mundo paranormal/espiritual para nós leigos. Eu entendi o porquê de aparições fantasmagóricas acontecerem, como me prevenir para que nada de ruim me atinja e também como encarar esse tipo de coisa caso aconteça comigo um dia (espero que não mas nunca se sabe!).

Enfim, gostei muito do livro! Achei ótimo até para instruir as pessoas, pois muita gente passa por eventos do tipo e não sabe o que fazer. Recomendo sim a leitura, ela é bem leve e a narrativa é super gostosa – não senti em nenhum momento que ela ficou chata. Porém, tenha em mente que temos algumas coisas pesadas… se você for medroso como eu corre o risco de não dormir à noite, kkkk.

Bjs
Marina

1922 – 1º conto do livro Escuridão Total Sem Estrelas

Oi gente, tudo bem?

Antes de eu começar a ler esse livro pensei, obviamente, que leria ele todo de uma vez… mas não vou conseguir!!! E por um único motivo: ele é muito pesado! Comecei a me sentir mal depois da leitura, tipo quando você ouve uma história de pedofilia ou uma tortura muito grande no jornal e fica se sentindo mal muito tempo depois…

Então decidi fazer o seguinte: vou ler os contos intercalados com outros livros mais levinhos e vou fazer uma resenha individual para cada um, ok? No total são 4 e falo abaixo do primeiro conto do livro:

ESCURIDAO_TOTAL_SEM_ESTRELAS_1430702549137226SK1430702549BEscuridão Total Sem Estrelas – 1922 (1º conto)
De Stephen King

Sinopse oficial: Wilfred James e Arlette James são donos de 100 acres em Hemingford Home. Enquanto sua irritante esposa quer vender sua parte para uma companhia, Wilfred quer manter suas terras. A cada dia que passa, Wilfred percebe que só há uma solução para o problema. Envenenando a mente de seu filho, Henry, os dois acabam por assassinar Arlette. A história é uma narração/confissão de Wilfred sobre como ocorreu o assassinato, e a série de terríveis eventos que foi desencadeada por causa do crime.

Minha opinião: Como eu já disse acima: PESADO! Logo no começo já temos um assassinato brutal, com um motivo extremamente besta e muita violência. Depois temos uma série de coisas girando em torno daquele assassinato e parece que as desgraças nunca acabam! É uma vida triste e sofrida, sabem? Fiquei meio mal com isso…

O enredo é bom, mas a narrativa é arrastada e chatinha. Já conhecia o jeito do Stephen King escrever, então sabia que seria dessa forma, mas não esperava que fosse tãaao arrastada como foi. EU tive muita dificuldade em manter o ritmo e queria parar o tempo todo. Não gostei!

Os personagens são bem construídos como dois fazendeiros à moda antiga (também, a história se passa em 1922, logo…), e Wilf só pensa em suas terras e seus animais. Acha que matando sua esposa vai resolver alguma coisa na vida, mas é assombrado por esse acontecimento até o fim dela. É terror? Eu achei que não, honestamente. Acho que o ponto-chave aqui é como às vezes fazemos uma coisa idiota na nossa vida e aquilo nos persegue até o fim (no caso, foi bem idiota, né?). Nossa mente é mestre em assombrar a gente e é isso que vemos na leitura.

Eu já tinha lido que o primeiro conto é realmente o mais chatinho da história e que os outros 3 são infinitamente melhores, então estava preparada para não gostar muito, mas realmente me surpreendi de não ter gostado nada. É bem escrito, claro, e traz um psicológico tenso, mas se pudesse voltar atrás eu não o leria. kkkk Estou ansiosa para ver os outros – falam que o segundo conto é o melhor então vamos aguardar…

Bjs
Marina

O Quarto dia – Os Três Livro 2

O_QUARTO_DIA_1457547359570727SK1457547359BO Quarto Dia
De Sarah Lotz

Sinopse oficial: Em O Quarto Dia, Sarah Lotz conduz o leitor por uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita. Mas às vezes o novo ano reserva surpresas desagradáveis…

Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica… se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.

As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis.

Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.

Minha opinião: Q.U.E. D.E.C.E.P.Ç.Ã.O!!!! Não tenho palavras pra expressar a minha tristeza e desapontamento com esse livro… 😦

Os Três foi um dos melhores livros de terror que eu li até hoje. Ouso dizer que acho que é O melhor de todos. Então estava com altíssimas expectativas para essa “continuação”. Eu sabia que não era a mesma história, mas que se passava após os acontecimentos do livro anterior e que tudo tinha uma ligação… mas não esperava desgostar tanto quanto aconteceu.

Temos a narrativa do ponto de vista de vários personagens dessa vez, então foi tudo um poco mais pessoal. Não gostei. Preferia os recortes de jornais da última vez, rs.

O terror? Quase não vi. Tivemos algumas ceninhas boas, mas aquele medo frio de ficar sem dormir e pensando naquilo… não tive. As poucas cenas tensas não me assustaram, mas no final a gente percebe que o mais macabro era a situação das pessoas no navio mesmo. Como o ser humano se comporta em determinadas situações de stress.

As últimas 30 páginas foram loucas mas foram as melhores. Conseguimos ver toda a conexão entre as histórias dos livros e ficamos esperando mais. Mas foi a única parte boa. No mais foi bem fraquinho.

Não recomendo, a não ser que, assim como eu, você esteja curioso para acompanhar até onde vai essa história e o que vamos descobrir no futuro (teremos próximos volumes? Espero que sim, tem que ter né!!! rsrs). Não é que foi ruim, é que apenas não foi bom o suficiente para mim.

Bjs
Marina

Luzes em Thaupeeka

LUZES_EM_THAUPEEKA_1459346839574653SK1459346839BSinopse: Três luzes de origem desconhecida e comportamento fora dos padrões da física conhecida apareceram no céu da pequena e pacata cidade de Thaupeeka.

Uma garotinha, um ufólogo, um grupo de investigações do governo e uma seita, têm seus caminhos cruzados no desenrolar dos acontecimentos envolvendo este estranho fenômeno.

Orgulho, vingança, amor, curiosidade e fanatismo andam juntos nessa obra de ficção científica onde nossos conhecimentos e crenças são colocados em xeque.

Minha opinião: Uau! Q.U.E L.I.V.R.O!!!! Instigante do começo ao fim, com uma narrativa fluida e natural. Foi uma grata surpresa. ❤ E o autor é brasileiro gente! Que maravilha estar lendo tantas coisas boas de autores brasileiros ultimamente.

No começo fiquei assustada com o tamanho: quase 600 páginas. Depois de um livro com esse mesmo tanto de paginas que foi um “fracasso” (A Descoberta das Bruxas) eu estava temerosa, mas nossa! Nem senti o tempo passar! A cada minuto livre que eu tinha eu pegava o livro e não queria largar, ou seja: fui sugada pela leitura.

Temos 3 personagens principais logo no inicio: Maybel, Philip e George. Depois vão surgindo outros personagens e outros pontos de vista, mas no final tudo gira em torno dos três. Philip é pai de Maybel e um fissurado por ETS. Vive caçando fenômenos do tipo, então para todo e qualquer fenômeno “extraterrestre” ele está presente. George é um descrente. Ele dedica sua vida a desmascarar farsas relacionadas a Ets, ou seja, qualquer um que lucre enganando pessoas com falsas ilustrações em milharais, por exemplo. Já Maybel é a garota especial. Aquela a quem coisas sobrenaturais de fato acontecem.

George e Philip tem o des/prazer de se conhecerem justamente em uma dessas fazendas onde surgem imagens misteriosas no milharal. A partir daí as vidas dos dois se cruzam e um evento louco atrás do outro acontece, com uma série de reviravoltas e ação do começo ao fim! O ponto de vista da Maybel para mim é o mais legal, porque ficamos aflitos querendo saber o que raios está acontecendo e é muito singela a forma como ela vai amadurecendo ao longo do livro. Crianças são sempre mais interessantes de se acompanhar…

Eu diria que o livro tem um pouco de tudo: ficção científica, sobrenatural, suspense, romance, seitas… confesso que eu achei que seria uma coisa meio doida, vários homenzinhos verdes aparecendo, mas no geral o suspense é o carro chefe desse livro (e que suspense!). Acredito que os fãs desse gênero vão amar!

Com certeza um favorito desse ano. Mas o final me deixou um pouquiiiinho (bem pouquinho mesmo) triste porque eu de fato estava esperando mais ficção cientifica e coisas loucas, huahauha. Além de que fiquei curiosa querendo mais… 

Enfim, recomendadíssimo! O livro é muito bom e fiquei super feliz com essa indicacão da Renata (Obrigada Rê!!!) e agora estou no clima para ler mais livros desse tipo. 

Bjs
Marina

5 livros para morrer de medo

Oi pessoal, tudo bem?

Eu estava conversando outro dia com o povo aqui do trabalho sobre livros e histórias assustadoras e me surgiu a ideia de fazer esse post 🙂

Claro, o tanto que uma história aterroriza cada pessoa é meio relativo… depende um pouco dos seus medos individuais, mas acho que tem alguns livros que conseguem atingir um patamar de provocar um terror psicológico que pode mexer com a mente de qualquer um. E é deles que vou falar agora, no meu TOP 5:

  1. Puros

Ok, esse livro não é de terror. Nem de suspense. Mas ele fala de um mundo tão, mas TÃO acabado e com pessoas em situações horríveis que você fica sem dormir à noite pensando naquilo. É marcante! Posso dizer que o cenário é assustador e te deixa meio bodeado…

  1. Lugares Escuros

Logo na primeira página já temos um poema bem assustador. Eu comparei o poema da versão em português do Brasil com a de português de Portugal (a que eu li) e a em português de Portugal é mais aterrorizante, rs vale a pena dar uma olhada.

Com situações tensas, assassinatos e apologia ao Diabo, esse livro é um suspense aterrorizante de tirar o fôlego. Ele mexe bastante com o nosso emocional também, deixa você pensando na história por dias.

  1. Caixa de Pássaros – Não abra os olhos

Nesse livro o autor conduz um mistério perturbador do começo ao fim. O final é meio aberto, mas eu não tenho problemas com isso.

Imagina você não poder abrir os olhos nunca mais porque você pode morrer e não sabe por quê? É uma pressão gigantesca, eu não aguentaria!!! rsrs

  1. O Cemitério

Stephen King, né mores… o cara manda bem. Confesso que os dois primeiros terços do livro são bem paradinhos mas o final… nossa eu lia e eu ficava perturbada! Nem consegui dormir direito à noite, porque uma história que parecia inofensiva se mostrava intrigante, forte e tensa.

  1. Os Três

E finalmente o primeiro lugar vai para o único livro que conseguiu me derrubar, a ponto de eu passar uma noite inteira sem dormir, na cama, com medo até de ir no banheiro: Os Três. As primeiras 100 páginas foram de puro terror. As páginas do meio tem um mistério e o final é perturbador, no melhor estilo “conto japonês”, sabem? Assusta mesmo!

Fiquei com medo de várias coisas durante a leitura e até procurei alguma delas na internet porque nossa… as lendas, o jeito que tudo foi contado… Meu Deus! Considero esse livro o melhor desse gênero que li até hoje. Dizem que o próximo volume (Day Four) não é tão bom quanto esse primeiro, mas com certeza eu vou ler porque se for um terço do que esse foi até que está de bom tamanho. 😉

Bom, pra finalizar um Bônus: não é um livro, é uma história em quadrinhos beeeem curtinha. É japonesa, mas traduziram pro português. Eu terminei de ler e pensei: nossa, é só isso? É legal mas não é nada de mais… Mas nossa! Me peguei pensando na história vários dias depois, ainda perturbada. vale a pena ler. Chama “O Enigma da Falha de Amigara”, de Junji Ito, e vocês podem ver a versão em português aqui: http://www.beeta.com.br/forum/viewtopic.php?id=13227 (vocês sabem que para ler mangá é da direita para a esquerda, né? Sentido contrário ao que a gente lê).

Bjs
Marina

Dias Perfeitos

DIAS_PERFEITOS_1394296860BDias Perfeitos
De Raphael Montes

Sinopse: Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências.

Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável.

Minha opinião: senti medo ao ler esse livro. Medo porque eu já tive minha fase inconsequente, assim como a Clarice (mocinha da história), e o que aconteceu com ela podia ter acontecido comigo. Com qualquer um. Mais uma vez fiquei pensando como a gente não conhece ninguém mesmo nessa vida e não podemos nunca confiar nas pessoas que mal conhecemos…

Sim, é um livro perturbador. Téo, o personagem principal, é nitidamente um psicopata, ou sei lá, tem alguma doença mental muito grave: falta empatia, falta amor, falta carinho e sobra obsessão. Ele realmente acha que as atitudes que toma estão corretas e que os errados são os outros e não ele. o.O

Não é possível obter qualquer tipo de identificação com ele, o que é um pouco esquisito, já que sempre esperamos nos conectar com os personagens principais. E a Clarice acabou se mostrando mais esperta do que eu achava no início… no final do livro fiquei triste pelo fim que a aguardou. Ela não merecia tudo que aconteceu com ela, mas essa é a questão, não é? – Ninguém merece. Esses psicopatas são simplesmente loucos! Ninguém está a salvo!

Enfim, foi mesmo perturbador gente, fiquei “impressionada”, rsrsrsr. Aliás, fiquei mesmo muito surpresa (positivamente) com essa leitura: é muito bom ver mais um autor nacional escrevendo livros tão interessantes e diferentes. 🙂

A narrativa dele é instigante – o começo é meio paradinho mas de repente somos fisgados e não conseguimos parar de ler. Recomendo!

Bjs
Marina

The Terror – Jim Rook Livro 3

The TerrorThe Terror
De Graham Masterton

Sinopse traduzida por mim: Jim Rook dá aulas de inglês para alunos com dificuldades de aprendizado. Em uma dessas aulas, aparece um jovem estudante mexicano, Rafael Diaz. Ele é calmo, tímido e, a princípio bem reservado. Mas, conforme Jim vai o conhecendo melhor, ele descobre um notável talento de Rafael: ele pode curar as pessoas dos seus medos mais profundos.

Em seguida, uma das alunas de Jim é encontrado morto. Não há nenhum sinal de agressão física, mas seu coração parou e seu rosto está congelado. Ela está usando um colar de contas Aztec dado a ela por Rafael Diaz.

Mas, embora a polícia esteja perplexa, as mortes não param por aí, e uma noite Jim vê um vulto escuro e assustador correndo entre as árvores. Algo terrível está à solta…

Desesperado para evitar que seus alunos se tornem suas próximas vítimas, Jim é forçado a enfrentar e superar seus próprios medos antes que ele possa destruir o Terror que ameaça todos eles.

Minha opinião: começando do começo – falei para o meu namorado que estava a fim de um livro de terror e ele ficou animadíssimo! Me disse que tinha comprado um em Londres e que iria me emprestar. Pois bem, peguei esse livro com ele e, após começar a leitura pensei: “tem história antes disso aqui…” e batata! Era o TERCEIRO livro de uma série de vários. Mas ele me disse que tinha um final e que eu deveria ler, então prossegui…

Sim, é uma daquelas séries em que você não precisa necessariamente ler todos os livros e em ordem. A história teve um começo, um meio e um fim. Eu entendi tudo, mas fiquei triste por não saber o que aconteceu antes e o que iria acontecer depois.

Sobre o enredo: é um terrorzinho ok, mas meio fraquinho. A leitura é super fluída (em inglês) e com letras grandes, então é rapidinho. SÓ QUEEEEE eu estou indo na academia, dormindo cedo, etc, então só tenho lido no metrô mesmo. Ou seja: demorei duas semanas pra terminar! Acho que vai ser assim daqui pra frente, se bem que nesses últimos dias eu dei uma acostumada com o horário e consegui ler um pouco a noite…

Enfim: O livro é velho, só existe no exterior (nem cadastrado no skoob está!), é o terceiro de uma série e nem é tãaao bom assim. O personagem principal é bem cativante – professor, adora seus alunos, é bonzinho, etc, e temos várias referências à cultura Maia, à espíritos e vudus, então valeu a leitura, mas não recomendo o esforço de achar e comprar esse livro para quem está aqui no Brasil.

Caso tenham curiosidade acho que vale comprar a saga toda. Aí sim. 😉

Bjs
Marina

Asylum – Asylum Livro 1

ASYLUMAsylum
De Madeleine Roux

Sinopse oficial: Para Dan Crawford, 16 anos, o New Hampshire College Prep é mais do que um programa de verão – é uma tábua de salvação. Um pária em sua escola, Dan está animado para finalmente fazer alguns amigos em seu último verão antes da faculdade. Mas, quando ele chega no programa, Dan descobre que seu dormitório para o verão costumava ser um sanatório, mais comumente conhecido como um asilo. E não apenas qualquer asilo — um último recurso para criminosos insanos.

À medida que Dan e seus novos amigos, Abby e Jordan, exploram os recantos escondidos de sua casa de verão assustadora, eles logo descobrem que não é coincidência que os três acabaram ali. Porque o asilo é a chave para um passado terrível. E existem alguns segredos que se recusam a ficar enterrados.

Minha opinião: não sei bem definir o que eu estava esperando, mas certamente minhas expectativas foram atendidas.

Asylum não é um livro ruim – não é ótimo, e nem de tanto terror como era de se imaginar – mas, ainda assim, acredito que cumpriu bem seu papel de contar uma história macabra, dar alguns sustinhos, e nos deixar daquele jeito “alerta”, sabem? Quando estamos tensos e até o toque de uma campainha nos faz dar uns pulinhos. rsrs

O cenário é um hospital psiquiátrico, daqueles de meter medo, aliado à estudantes de ensino médio com “visões” estranhas e uma vontade urgente de invadir locais proibidos. Clichê porém um bom enredo. No entanto, vi algumas falhas graves…

Não quero dar spoilers, então só posso dizer que, no final, não ficamos sabendo tudo que deveríamos saber ao término de um primeiro livro e saímos com muitas dúvidas e com algumas falhas no desenrolar da história que me deixaram um pouco confusa. Fora que senti uma ânsia da parte da autora de jogar informações no nosso colo sem explicar direito o que eram. Por exemplo: falar o nome de uma pessoa uma vez só e achar que vamos lembrar quem ela é lá no final quando mencionar ela de novo, sem nenhuma dica…

Enfim, como eu disse: não é o melhor dos livros mas certamente é uma leitura boa. O diferencial dele é que tem muitas ilustrações e fotos dos locais, então sua imaginação tem uma direção certa para seguir. Fora que ele é curtinho e a narrativa segue fluida e leve… Vale a pena dar uma chance 😉 rsrs

Bjs
Marina

Caixa de Pássaros – Não Abra os Olhos

CAIXA_DE_PASSAROS_NAO_ABRACaixa de Pássaros
De Josh Malerman

Sinopse oficial: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.

Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Minha opinião: Marina está DESMAIADA! rsrs Que livro!!! Fazia tempo que estava atrás de um thriller, e posso afirmar que essa foi uma escolha excelente! Mais um favorito para minha lista. 😉

O enredo, no começo, me lembrou um pouco aquele filme Fim dos Tempos… aquele com o Mark Walberg e com a Zoey Deschanel em que as pessoas se suicidavam, do nada, no meio do rua, lembram? Pois bem, tudo é muito parecido, as pessoas se suicidam também, mas apesar disso achei a história bem original. Ela pode ter sido apenas baseada no filme, porque as semelhanças param por aí…

O autor soube conduzir o desenrolar dos acontecimentos com maestria! Temos capítulos alternados com narrativas do futuro e do passado, então nunca sabemos 100% o que aconteceu. Além disso, o suspense, a loucura e o terror psicológico estão presentes do começo ao fim (o final é um pouco aberto) – o que nos prende desde a primeira até a última página.

Devorei!

Malorie é uma boa personagem principal. Ela é forte, esperta e persistente, tudo que alguém precisa ser para sobreviver ao novo mundo. Achei digna. 😉

E tudo mais que eu posso contar seria caracterizado como spoiler, rs. Só posso dizer: leiam! É muuuiitooo bom! Quem gosta de terror, suspense e uma boa história vai amar, assim como eu. ❤

Bjs
Marina

Unwind – The Unwind Dystology Livro 1

UNWIND_1403860669BUnwind
De Neal Shusterman

Sinopse traduzida por mim: Em uma sociedade onde os adolescentes indesejados são mantidos através de partes de seus corpos, três fugitivos lutam contra o sistema que iria “desmembrá-los”.

Os pais de Connor querem se livrar dele porque ele é um encrenqueiro. Risa não tem pais e está sendo desmembrada para cortar custos do orfanato. O desmembramento de Lev foi planejado desde o seu nascimento, como parte de uma rigorosa religião de sua família. Reunidos por acaso e mantidos juntos por desespero, esses três companheiros improváveis ​​farão uma viagem angustiante através do país, sabendo que as suas vidas estão em jogo. Se eles podem sobreviver até seus aniversários de dezoito anos, não podem ser prejudicados – mas quando cada parte deles, de suas mãos a seus corações, são procurados por um mundo enlouquecido, dezoito parece muito, muito distante.

Minha opinião: preparem-se porque essa resenha vai ser looonga….. rsrsrs

Primeiro de tudo: a única parte negativa desse livro são as várias gírias em inglês, de difícil compreensão. Como assim? Pensem em Maze Runner: quando começamos a leitura nos deparamos com palavras como “trolho” (?) e “mértila”. São gírias específicas da história, que não tem uma prévia explicação e que precisamos descobrir sozinhos o significado. É exatamente isso que acontece nesse livro, porém num patamar elevado porque é em inglês – mais complicado ainda! Então acho apenas que faltou um glossário.

Sobre o enredo (plot), ele é altamente bem construído. Impecável! Podemos até pensar num primeiro momento que a história está muito comprida, que várias cenas não eram necessárias, mas no final tudo se encaixa de uma maneira…. que percebemos que precisávamos sim “viver” aquelas cenas para nos sensibilizar com todos os acontecimentos.

Falando em sensibilizar, o que foi esse livro??? Me chocou diversas vezes e tem toda uma discussão ética e moral por trás que te faz pesar no valor de uma vida e de um sacrifício. Vou explicar: UNWINDS são crianças de até 18 anos que podem ser designadas para serem desmembradas e seus membros implantados em outras pessoas. Então se você tem um filho que é muito travesso você pode assinar uma ordem para ele virar um unwind. Se uma criança mora na rua os policiais podem levá-la também para ser unwind, etc…. COMO ASSIM??? QUE PAI E QUE MÃE FAZEM ISSO COM O PRÓPRIO FILHO? Exato, e nesse livro acompanhamos diversas histórias que nos dão variados pontos de vista sobre esse ato.

Temos três personagens principais: Connor, Risa e Lev, mas a medida que a narrativa vai ganhando força temos pontos de vista de muita gente. Tem ponto de vista até da “multidão”. Juro, tem um capítulo que se chama “multidão”. Então se você não curte vários PDV melhor nem começar a ler esse livro… Mas só digo que cada uma dessas visões incrementa um pouco mais o macabro cenário que envolve esse livro.

E por falar em macabro, tem uma cena do livro – que descreve justamente a cirurgia de um Unwind – que passou dos limites! Fiquei chocada demais!!! Foi forte e desumano… É muito forte esse livro, em todos os aspectos, mas ele é bem mascarado… você acha que será uma historinha simples, com 3 garotinhos fugitivos, mas ela se mostra muito maior e mais assustadora.

Enfim, acho válido deixar um pequeno “glossário” caseiro do que eu entendi das gírias, caso alguém se interesse pela leitura. Vai ajudar, mas lembrem-se que é apenas a minha interpretação e o meu modo de colocar as coisas:

Unwind = desmembrado / pessoa destinada a ter seus membros retirados cirurgicamente e transplantados para outra pessoa
Tithe = criança que já nasceu destinada a ser um Unwind quando fizer 13 anos
Clapers = terroristas que batem palmas (sim, é isso mesmo e tudo é explicado no livro rs)
AWOL = adolescente fugitivo

Alguns desses termos são explicados no comecinho do livro, outros só lá para o final, então fica a dica do que cada um significa mais ou menos…

Recomendo? MUITOOOO!!!!! O livro é meio comprido e demoradinho mas vale a pena! 😉

Bjs
Marina

Os Três

OS_TRESOs Três
De Sarah Lotz

Sinopse oficial: Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: “Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele…”. Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.

Minha opinião: Primeiro de tudo é preciso comentar que esse livro é diferente da maioria – ele é um livro dentro de um livro. Como assim? Fácil, a autora escreveu uma história que é contada através de um livro, escrito por uma repórter. Achei bem original – ponto para ela! rsrs

O objetivo dessa repórter é contar com trechos de entrevistas, de livros, de programas de rádio, TV e uma outra série de recortes tudo que investigou sobre a Quinta-feira Negra. Dessa forma não temos um personagem principal, temos depoimentos de diversas pessoas sobre o mesmo acontecimento. É válido dizer que o acontecimento em si é o protagonista dessa história (junto com Os Três).

Preciso dizer que as primeiras 100 páginas do livro foram tão tensas que tive pesadelos à noite. Eu sou facilmente impressionável (no sentido do medo), então fiquei rolando de um lado para o outro na cama, sem conseguir dormir, e imaginando diversas coisas na minha cabeça – fantasmas, demônios, ETs, etc. Olha… fazia tempo que um livro não me dava tanto medo assim! É um terror muito psicológico e a narrativa é bem próxima de um thriller, então morri de medo. Confesso! rs

Do meio para o final, as coisas passaram de apavorantes para misteriosas e levemente bizarras. Não senti mais medo, mas algumas coisas ainda me davam arrepios! Principalmente a Jess, uma das crianças que sobreviveram – que medo! Ela era sem dúvida a mais sinistra dde todos.

O fim do livro não foi como eu esperava. Foi legal sim, e as últimas páginas foram devoradas com uma rapidez incrível. Eu queria logo descobrir tudo de uma vez… mas não consegui. Apesar de o livro ser muito bem terminado, ainda restaram algumas dúvidas, mas acho que foi intencional para acrescentar algo ainda mais macabro à história: o poder de imaginação da nossa mente. Rsrsrs

Adorei o livro! Achei muito bom mesmo, um dos melhores que li desse gênero e no ano. Recomendo bastante a leitura, mas se você é medroso, ou não gosta de histórias desse tipo é capaz de não gostar.

Bjs
Marina

A Menina Submersa – Memórias

A_MENINA_SUBMERSAA Menina Submersa
De Caitlín R. Kiernan

Sinopse oficial: ‘A Menina Submersa – Memórias’ é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do ‘real’ sobre o ‘verdadeiro’ e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos.

Minha opinião: um livro forte! Muito bem escrito, original, fantasioso e real ao mesmo tempo – simplesmente uma obra prima! Porém, não é fácil de ler.

Com alguns temas pouco abordados ou polêmicos como esquizofrenia, homosexualismo e mudança de sexo, essa leitura foi uma grande surpresa, em todos os aspectos:

Primeiro eu achei que seria uma simples história de terror fantasiosa, mas não é simples assim – ela trata do terror de lidar com uma mente que te trai a todo instante e te perturba pouco a pouco… A loucura, a paranóia e a obsessão estão sempre muito presentes. É uma abordagem totalmente psicológica.

Depois, achei que a personagem principal, Imp, fosse divagar mais, se perder mais e talvez até não saber do seu estado mental, mas mais uma vez me enganei e fui surpreendida com uma narradora lúcida (na maior parte das vezes, rs), consciente da sua condição e fugindo dos truques da sua própria psique. Algumas coisas ditas por ela são tão sábias que suspeito que as pessoas nessas condições são mesmo portadoras de uma percepção extra sensorial do mundo.

Além de tudo, a linguagem é um pouco mais rebuscada do que estou acostumada e esperava encontrar – a narrativa não é fácil, algumas vezes deixa de ser linear e em outros momentos se torna incompreensível. Acho que a autora fez um excelente trabalho de pesquisa para simular uma pessoa esquizofrênica, porque acabamos o livro com aquela sensação de que entendemos tudo sobre as pessoas “loucas” e que agora sabemos como suas mentes funcionam.

A obra é repleta de referências a outros textos, livros e pinturas, então achei muito completa – repito que a pesquisa foi excelente e fundamental.

Não achei uma história assustadora, mas sem dúvidas é uma história de fantasmas. Recomendado!!!

Bjs
Marina

Aniquilação – Comando Sul Livro 01

ANIQUILACAOAniquilação
De Jeff Vandermeer

Sinopse oficial: Aniquilação, o primeiro livro da trilogia Comando Sul, apresenta um grupo de quatro mulheres enviadas para a Área X, um lugar incompreensível e isolado do restante do mundo há décadas, onde a natureza tomou para si os últimos vestígios da presença humana. Elas fazem parte da décima segunda expedição ao local, cujos objetivos são explorar o terreno desconhecido, tomar nota de todas as mudanças ambientais, monitorar as relações entre elas próprias e, acima de tudo, não se contaminarem. Uma missão mortal, visto que todas as expedições anteriores tiveram resultados assustadores, como suicídios em massa, tiroteios descontrolados e casos de mudança de personalidade súbita seguidos de morte por câncer. As mulheres partiram para a Área X esperando o inesperado… e foi exatamente isso que encontram.

Minha opinião: um livro diferente. Não esperava que fosse um Thriller, mas senti que ele é exatamente isso: um livro cheio de terror psicológico, coisas incompreendidas/assustadoras e sensações diversificadas.

A personagem principal é uma mulher – a bióloga. Não sabemos seu nome, sua idade, nem sua aparência e, mesmo assim, ela se torna muito familiar e uma pessoa querida. É através de seu diário que a história nos é contada, então chega um certo ponto em que não sabemos se o que está sendo contado é real ou fruto de sua imaginção. Temos apenas a visão dela para narrar os fatos.

Além da bióloga temos mais 3 mulheres também identificadas apenas pelas suas funções, em uma expedição sem muito objetivo numa época que também não sabemos quando é. Não sabemos muita coisa, né? rsrsrsrs Mas é exatamente esse fato de não sabermos nada que nos deixa curiosos até o final. Falando nisso, o final também não é muito esclarecedor, então senti falta de uma prévia do próximo livro.

A área X do começo ao fim foi algo misterioso e, o pouco que conseguimos desvendar, foi intrigante, diferente e ligeiramente assustador. Tudo num nível de medo psicológico mesmo: a imaginação da gente às vezes consegue ser mais assustadora que a realidade.

A escrita é um pouco difícil porém é fluida. A descrição das coisas nem sempre é muito precisa mas tudo se encaixa, então é uma narrativa muito boa e misteriosa.

Gostei bastante do livro! Ele é bem fininho também, então acabei rapidinho porque não conseguia segurar minha curiosidade. Huahuahua

Recomendo! Foi uma leitura diferente e muito marcante.;)

Bjs
Marina